GESTÃO DO PARQUE DE CONTADORES

22/06/2021

A elaboração do Plano de Perdas e Energia 2015-2017, no âmbito da participação da Águas de Barcelos (AdB) no i-Perdas, revelou a necessidade de implementar políticas mais estruturadas de gestão de parque de contadores. Foram definidas metas e táticas para perdas aparentes que contribuíram para que, em 2018, se atingissem valores de 16.8% de água não faturada. No entanto, a tática de substituição de contadores estava definida como: “Substituição de todos os contadores com mais de 12 anos”, tendo a Portaria n.º 21/2007 como referência “informal”. Se a meta para as perdas aparentes tivesse sido mais ambiciosa, e a tática tivesse sido “Substituição de contadores tendo por base a frequência ótima de renovação” (ARREGUI et. al, 2006) a AdB poderia ter atingido valores de 16.2% e conseguido retornos financeiros mais elevados. O presente artigo pretende expor a metodologia utilizada para cálculo do custo que essa meta e tática correspondente teria implicado e como se procedeu ao cálculo dos benefícios.

Veja o estudo completo AQUI.